Rua Flávio Fongaro, 126 - Vila Marlene
São Bernardo do Campo - SP

(11) 4332-6953
Mensagem do pároco › 24/11/2016

Natal, Deus entre nós

O ano litúrgico possui dois grandes momentos, que são como eixos centrais de tudo o que celebramos acerca do Mistério do Senhor: a Páscoa e o Natal. Estamos no segundo, vivenciando sua importante preparação, chamada Advento.

Natal. Este acontecimento sublime da história se resume em uma expressão do Evangelho de São João: “E o Verbo Se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1,14). Nestas palavras está contido o rico e insondável conteúdo do Mistério comemorado a cada 25 de dezembro: na obscuridade das trevas do paganismo raiou a aurora de nossa salvação.

Foi em Belém, no seio de uma modesta família, que Deus quis manifestar-Se. O castíssimo esposo de Maria Santíssima contemplou Deus humanado e teve o privilégio de tê-Lo nos braços. O choro Daquele recém-nascido, na verdade, era a causa de nosso riso e alegria, pois Dele viriam a libertação, a paz, o amor, a concórdia e a vida que há muito a humanidade aguardava.

Tente imaginar a atmosfera que envolvia aquele estábulo… Pense no gozo da Virgem Maria, na admiração de São José. Mas pense também que “do lado de fora”, ou seja, ao redor daquele santo lugar, tudo continuava do mesmo jeito, aliás, se alguém tivesse noção do que estava se passando com aquele casal certamente eles teriam sido acolhidos em um lugar mais digno. Mas, não; tanto antes, como depois do parto, do lado de fora tudo permaneceu como antes.

É isso que se dá conosco também. A graça do Natal é imensa, os frutos espirituais que colhemos da participação deste Mistério também; tocamos o céu na terra, temos a alma a transbordar de gratidão, de amor, de reconhecimento por tudo o que o Senhor faz por nós… Mas, “do lado de fora”, às vezes dentro de nossa própria casa, ou na vizinhança, ou pelas ruas da cidade, apesar de vivenciarmos tão grande Mistério, as coisas permanecem as mesmas, pois a graça do Natal só pode ser provada por aqueles que têm seus olhos espirituais abertos para enxergar o que, de fato, se dá no mundo espiritual.

Os pastores serão tocados pela graça, igualmente os magos, depois Simeão e Ana no templo, etc. Porém, a grande maioria permanece com os olhos vendados à Graça que veio nos visitar, ao Deus humanado que verdadeiramente está entre nós.

Se nada podemos fazer com os “do lado de fora”, certamente temos um compromisso sério conosco. Ora, o compromisso de acolher o Deus que nasce em um coração livre do pecado, por uma boa confissão, e livre das mágoas e ressentimentos, por meio da reconciliação e boa convivência com as pessoas.

Aproveite o último mês do ano, a começar pela Solenidade da Imaculada Conceição, no próximo dia 8. É uma festa que celebra justamente o triunfo divino sobre o mal, porquanto Maria foi milagrosamente preservada da mancha do pecado e, no seu colo puríssimo, igualmente podemos receber toda a graça que necessitamos para andar na presença do Senhor. Venha celebrar a alegria dos meus 16 anos de ordenação sacerdotal, ocasião na qual renovarei meu “sim” ao Senhor, que me chamou, e a esta comunidade para a qual fui chamado e tenho servido nos últimos anos. Além disso, teremos o lançamento do livro dos 50 anos da Paróquia, selando tudo aquilo que vivenciamos em nosso jubileu de ouro.

Deixe que as graças do Natal já envolvam a sua vida, desde o seu interior, e não se preocupe tanto com as coisas exteriores, como festas, pratos, roupas, etc., pois tudo isso tem, sim, seu valor, porém, é infinitamente menor do que o real significado do Mistério do Natal, ao qual estou lhe convidando a viver, preparando-se na oração, na confissão e na participação eucarística.

Com os “do lado de fora” tenha apenas o cuidado de orar por eles, para que sejam abertos à Palavra do Senhor e a seu tempo possam experimentar da incomparável alegria que é conhecer Nosso Senhor Jesus Cristo. Mas, não apenas ore. Ore, mas procure anunciar Jesus e convide-os sem medo para que tomem parte nas atividades de nossa comunidade paroquial, a fim de que, tocados pela Graça, também possam compreender porque o nascimento desse pobre Menino mudou a história em antes e depois de Cristo e certamente mudará o rumo da vida deles também.

Tenha um Feliz e Santo Natal!

Pe. Augusto César

Pároco

Imprimir